As vantagens definitivas de uma transmissão com uma só coroa no MTB

Outubro 19, 2018

A revolução tecnológica mais importante no Mountain bike nos últimos anos foi, sem dúvida, a transmissão com uma só coroa. Este tipo de transmissão é claramente predominante no mercado em relação ao sistema de transmissão de 2 coroas.

Talvez a vantagem mais importante de uma transmissão de monoprato em comparação com transmissões com 2 coroas é a simplicidade de uso. Com esse tipo de transmissão, o ciclista só precisa se preocupar na troca de marchas do câmbio traseiro.

Ao evitar as trocas de coroas, também evitamos problemas na transmissão. Ao transportar menos componentes, nossa transmissão terá menos probabilidade de sofrer um colapso.

Nas transmissões monopratos, eliminamos o desvio da corrente, como também diminuímos o peso da bike sem os componentes do câmbio dianteiro, além da simplicidade na operação da transmissão. Esta economia de peso é geralmente em torno de 500 gramas.

Atualmente os fabricantes desenvolveram cassetes com um número de velocidades suficiente para que não ocorra perda de desempenho do ciclista. Como exemplo, temos as transmissões da Sram Eagle, que têm 12 velocidades e um desenvolvimento de 10 a 50 dentes do cassete, algo mais que suficiente para a grande maioria dos ciclistas.

No caso de transmissões monopratos Shimano, temos cassetes de 11 velocidades que podem ter um desenvolvimento de 11-50.

Portanto, com tanta margem no número de dentes do cassete, só precisaremos nos preocupar com a escolha da coroa que melhor se adapte à nossa condição física e às trilhas que fazemos.

Até há pouco tempo, o preço era uma desvantagem para este tipo de transmissão. Mas devido à sua boa aceitação no mercado há cada vez mais ofertas e mais modelos de transmissões monoprato, assim os preços também estão mais acessíveis.</p