A história do boné de ciclismo

Setembro 08, 2020
A história do boné de ciclismo Photo: cyclingtips.com

O boné de ciclismo é um ícone no mundo desse esporte. O boné de pano simples enfeitou a cabeça de todos os grandes ciclistas, e de fato a história do boné remonta ao século passado. Nos dias atuais ele permanece como um símbolo, parecendo meio ridículo para o resto da população, mas servindo como um aceno para seus irmãos do ciclismo.

Os primeiros dias

As primeiras corridas de ciclismo documentadas começaram no final de 1800, expondo os ciclistas aos elementos da natureza. Algum tipo de chapéu foi imediatamente necessário, então a rudimentar boina de aba plana foi a escolha óbvia, em oposição ás cartolas da época.

A aba plana foi um passo na direção certa, isso estabeleceu a base para o boné de ciclismo. Os ciclistas usavam boinas brancas e lisas, que eventualmente ficaram marrons e cinza com poeira e sujeira ao longo das provas. Era puramente funcional, mantendo o sol longe dos olhos, absorvendo o suor e impedindo a entrada de chuva e sujeira.

Na década de 1950, o boné de ciclismo se tornou a marca definitiva de um ciclista profissional. O design foi refinado ao longo dos anos 60, chegando a se parecer com o que conhecemos hoje. Os patrocinadores começaram a colocar suas marcas no bonés, e isso se tornou uma forma de divulgar seu nome no mundo do ciclismo.

Eles não foram usados ​​apenas em cima da bike, mas também nos pódios e nas cabeças dos treinadores e em todos os outros que foram inspirados pelos grandes nomes do ciclismo. Aqueles que podem não ter condições de comprar uma bicicleta equipada com Campagnolo podem comprar um boné Campagnolo, que se tornou uma entrada na cultura do ciclismo.

O declínio

Com a introdução dos capacetes nos anos 70 e 80, o boné de ciclismo se tornou menos necessário. Embora não fosse mais a marca de um ciclista profissional, permaneceu como parte do uniforme de ciclismo. O capacete e o boné de ciclismo não eram necessariamente mutuamente exclusivos, e muitos ciclistas optaram por usar um boné sob o capacete em climas frios e úmidos.

Quando os capacetes se tornaram obrigatórios, o boné de ciclismo entrou em segundo plano. Ele até foi amplamente substituído por bonés de beisebol em pódios. Para aqueles que estão entrando no mundo do ciclismo hoje, ele não tem nenhum significado.

A volta

O boné de ciclismo está de volta, e não apenas como um acessório geek que grita “EU REALMENTE AMO O CICLISMO”. É funcional e útil, e mesmo com um capacete ainda serve ao propósito para o qual foi criado. Há mais variedade do que nunca, com bonés para manter sua cabeça fria, quente - ou simplesmente com uma aparência realmente incrível.