A relação entre a desidratação e o rendimento cognitivo no ciclismo

Novembro 21, 2017
A relação entre a desidratação e o rendimento cognitivo no ciclismo Photo: Graham Watson | www.grahamwatson.com

Cristopher Irwin pesquisador da Universidade de Griffith, Australia, conseguiu comprovar que o rendimento cognitivo é afetado diretamente durante uma desidratação. Irwin mediu os níveis relacionados entre a desidratação e as funções cognitivas diretas, o estudo teve como objetivo medir uma linha base de 10 ciclistas masculinos onde os níveis de desidratação era de 2,5%, posteriormente, após re-hidratados com água, se avaliou o rendimento. Os resultados foram que os atletas aumentaram as capacidades cognitivas durante o rendimento aeróbico e anaeróbico.

O ciclismo ajuda a manter a mente em forma, o cérebro aumenta de volume durante cada pedalada, permitindo assim que o sangue, com nutrientes e oxigênio, flua por essa região do corpo. De fato, nosso corpo físico envelhece e nosso cérebro também, contudo, vários estudos comprovam que o ciclismo freia o decline das funções cognitivas, tais como:

  • Memória
  • Atenção
  • Orientação
  • linguagem
  • raciocínio

Capacidade Motora

Quando o ciclista não consome suficiente líquido durante a atividade física as conexões do Sistema Nervoso Central reduzem, o que afeta de maneira diretamente os estímulos externos. É muito importante criar hábitos de hidratação durante os treinos, desta maneira o corpo obtém o impulso necessário para manter o ciclista desperto.

As habilidades cognitivas que são afetadas pela desidratação no ciclismo:

  • Sprintar de maneira efetiva;
  • Percepção do entorno;
  • Consciência da hora de frenagem.

Devemos saber diferenciar a desidratação com a sensação de querer tomar água (sede). Os sintomas da desidratação geralmente são fraqueza, confusão e vertigem. Quando um ciclista tem sede e mantém o hábito constante de consumo de água durante o exercício físico o benefício será uma aceleração de seu metabolismo.

Valores de perda de líquidos a partir de 2% irá equivaler a uma diminuição do rendimento ao redor de 20% na atividade física, isso se justifica divido à desidratação diminuir os volumes plasmáticos do corpo. Também esta desidratação durante as pedaladas irá provocar um esforço fora do normal por parte do organismo para enviar oxigênio aos músculos.

Segundo à Federação Espanhola de Medicina do Esporte a desidratação é um fator limitante durante os exercícios físicos. Eles afirmam que todo ciclista deve avaliar as necessidades de repor líquidos durante os pedais, tomando em consideração que o corpo possui um mecanismo de evaporação de líquidos para evitar o aquecimento, por isso o consumo de água irá depender da capacidade de termo-regulação em detrimento à temperatura ambiente.