Magnésio, grande aliado dos ciclistas

Abril 05, 2021

Quando você pedala, a transpiração faz o seu trabalho: evita o calor do corpo mas, ao mesmo tempo, elimina alguns componentes que também são essenciais em todo o processo do esforço físico. Entre esses componentes está o magnésio, algo que é transcendental.

O magnésio é uma parte essencial para uma recuperação subsequente e progressiva, por isso a sua perda juntamente com outros sais minerais no corpo, faz com que seja essencial regenerá-lo o mais rapidamente possível.

O magnésio está em toda parte: ossos, tecidos musculares, e em qualquer componente líquido do corpo. Por exemplo, no aparelho nervoso ele é responsável pelas conexões neuronais; ou, no aparelho motor, responsável pela tensão muscular ou dureza óssea. E, portanto, sua ausência ou escassez leva a pequenas lesões, contraturas ou mesmo microrrupturas musculares.

Uma alimentação saudável, planejando a ingestão de alimentos ricos em proteínas ou cálcio, costuma estar associada a um bom suprimento de magnésio. A lista é longa, mas os alimentos que podem fornecer mais magnésio são trigo integral, espinafre, quinoa, algumas nozes, como amêndoas ou amendoim, ou até mesmo um pouco de chocolate amargo.

Mas se os seus níveis de magnésio ainda não forem os ideais, existem suplementos ricos em magnésio. Portanto, você pode controlar suas quantidades e ver como estão indo, se funcionam para você ou não.

Por um lado, o magnésio pode ajudá-lo muito. Reduz a fadiga e favorece três aspectos essenciais para o ciclista: músculos com respostas mais rápidas; músculos e cartilagens mais flexíveis; e aumento da oxigenação da massa muscular.

Mas, por outro lado, o magnésio pode atrapalhar sua vida no ciclismo. Porque uma alta ingestão desnecessária de magnésio costuma causar náuseas ou distúrbios gastrointestinais. E ainda, o que é mais pernicioso, maior probabilidade de cólicas abdominais. Portanto, seja cauteloso, mas controle o magnésio para ser um ciclista melhor.