Técnicas para melhorar o rendimento: treinamento na altitude

Março 15, 2017
Técnicas para melhorar o rendimento: treinamento na altitude Photo: www.savoie-mont-blanc.com

O transporte de oxigênio pelo sangue é o fator limitante nos profissionais de ciclismo. A partir desta premissa, os treinadores de esportes de resistência fazem as tradicionais pré-temporadas na altitude, já que, treinar na altura obriga a nosso corpo a captar e transportar o oxigênio em condições difíceis.

Transportar mais oxigênio

As consequências que se espera quando regressamos ao nível do mar depois de ter treinado adequadamente na altitude são variadas. A principal é que se consegue um maior transporte de oxigênio desde os pulmões, a através do sangue, até o resto do corpo, e até os músculos, que serão capazes de render ainda mais.

Este maior transporte de oxigênio é possível pela maior densidade de glóbulos vermelhos (Hemácias ou Eritrocitos) no sangue, molécula que transporta o oxigênio e que em baixos níveis produzem anemia. A quantidade total de glóbulos vermelhos em um corpo irá determinar o Hematócrito, que é a relação entre os eritrocitos e o volume total de sangue.

Os glóbulos vermelhos do sangue transportam o oxigênio até as células musculares, que por sua vez usam o oxigênio para "queimar" os alimentos. Quanto mais glóbulos vermelhos mais oxigênio se pode transportar até os músculos, por tanto, mais resistente é o ciclista.

Como se aumenta o número de glóbulos vermelhos?

Para informar ao organismo que fabrique mais glóbulos vermelhos é necessário que o rim produza o famoso hormônio EPO (eritropoyetina), que por sua vez irá estimular a medula óssea a produzir mais hemácias. Temos que deixar claro que o EPO é um hormônio natural produzido pelo nosso corpo, sendo parte de um metabolismo fisiológico normal e saudável.

A produção de EPO natural aumenta com a exposição de uma pessoa na altitude, como também, se um atleta dorme em uma espécie de cabana de acampamento com pouco oxigênio, um truque utilizado por vários ciclistas ao longo dos anos.

Os benefícios da altitude

Além de um incremento na densidade de glóbulos vermelhos, outro benefício que não se obtém treinando ao nível do mar é a criação de mais capilares sanguíneos na musculatura, que por sua vez melhora a divisão do oxigênio nos músculos permitindo um melhor aproveitamento deste.

Outro benefício é o aumento do volume das mitocôndrias nos músculos, e consequentemente sua capacidade de trabalho. As mitocôndrias são estruturas das células onde se queima os alimentos para a conversão em energia. Como resultado ocorre a melhora no VO2 max, ou seja, a máxima quantidade de oxigênio que se pode consumir. Desta forma o ciclista obtém maior potência e mais resistência.

Outro efeito do treinamento em altitude é que a falta de oxigênio na musculatura melhora o sistema de compensação da acidez nas fibras musculares, algo muito importante para os momentos de esforço máximo ao nível do mar.